quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Os 7 pecados na hora de procurar emprego

Os 7 pecados na hora de procurar emprego


Veja como evitar alguns erros em processos seletivos

22 de agosto de 2010
0h 54

Leia a notícia

Comentários 1EmailImprimirTwitterFacebookDeliciousDiggNewsvineLinkedInLiveRedditTexto - + Larissa Linder

Inglês fluente, diploma de uma boa universidade, cursos de especialização, amplo conhecimento sobre a área na qual quer trabalhar. Tudo isso pode virar pó se, na hora da entrevista para programas de estágio ou trainee, o candidato cometer gafes ou se comportar de modo inadequado.



Segundo consultores de RH ouvidos pelo Estadão.edu, é preciso ficar atento não apenas na entrevista em si, mas em todo o processo seletivo, até mesmo na hora de enviar o currículo. Eles afirmam que é normal ficar ansioso, especialmente em processos altamente concorridos – como o da Nestlé, que recebeu mais de 26 mil inscrições para 35 vagas. Mas garantem que a maioria dos erros pode ser evitada com cuidados simples. Veja os pecados mais comuns e como evitá-los.



1. Atirar para todo lado

Ao fazer a inscrição, evite candidatar-se sem critério e escolha uma empresa que combina com o seu perfil. “O erro não é se inscrever em tudo, mas se inscrever em qualquer coisa”, diz Denise Asnis, gerente do Escritório de Liderança da Natura



2. Não conhecer a empresa

“Ir sem saber quem é o presidente ou em quais países a empresa está soa como desinteresse”, afirma Denise. “Consultar o site da companhia e os funcionários é um bom começo”, diz Fábia Barros, gerente do Grupo Foco



3. Currículo exagerado

Ter inglês médio e se candidatar a uma vaga que pede avançado é um engano. Uma hora a pessoa vai precisar do idioma”, diz Fábia. Não ter a qualificação exigida ainda pode levar a outros problemas. “Já detectamos candidatos que copiaram projetos ou colaram”, conta Denise



4. Tentar ser o que não é

Tenho 20 anos, ouço música clássica e vou a museus nas horas livres.” Fábia cita este exemplo hipotético como o de um candidato tentando mostrar o que não é. “Jovem que se preze ouve música clássica, vai a museu, mas também vai

na balada. Tem gente que acha que dizer que vai na balada denigre, mas não é verdade.”



5. Tagarelar na entrevista

A tese de que para se sair bem numa entrevista é preciso falar bastante pode ser um tiro no pé. “Se procuro alguém mais centrado, o expansivo perde. Na dúvida, seja você mesmo”, aconselha Fábia. Para Denise, quem quer participar a todo minuto corre o risco de falar demais e dizer bobagem. “Tente se conter e falar apenas na hora certa.”



6. Mostrar-se superior

Na tentativa de se destacar em meio a vários concorrentes, alguns candidatos acabam parecendo petulantes. “Eles tentam mascarar a ansiedade e parecer melhor que os outros; tornam-se arrogantes”, diz Adriana Gomes, coordenadora do Núcleo de Pessoas e do Centro de Carreiras da pós-graduação da ESPM. A atitude de superioridade pode aparecer não só no momento de falar em uma dinâmica de grupo, mas também no relacionamento do candidato com os colegas. “Se ele não sabe se comportar de forma adequada na seleção, que dirá na empresa”, alerta Adriana



7. Falar demais na internet

É comum os candidatos formarem grupos de discussão na internet sobre as empresas nas quais estão fazendo seleção. Por um lado, pode ser positivo, porque é uma forma de trocar experiências. Por outro. quem se comportar de forma inadequada no fórum pode acabar sendo pego. “Tem candidato que não gostou de determinada atividade na dinâmica e resolve falar mal dos selecionadores, o que é, no mínimo, deselegante. E muitas vezes os selecionadores acabam descobrindo, já que costumam acompanhar esses grupos”, avisa Adriana.


Retirado do site abaixo:
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,os-7-pecados-na-hora-de-procurar-emprego,598436,0.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário